América do Sul

Deserto do Atacama, Chile

O Deserto do Atacama, considerado o deserto mais seco do mundo, tem cerca de 105.000 km, e está, predominantemente, localizado no Chile. Ao contrário do que muita gente pode pensar, esse deserto tem paisagens que vão muito além das tradicionais dunas de areia e reserva cenários surpreendentes, justamente por ir muito além do que nos remete à mente quando pensamos em “deserto”. 

Lagos a 4.000 metros de altitude, formações rochosas esculpidas pelo vento, vida selvagem, superfícies que se assemelham com a da lua, lagos em que não se afunda, curiosos vilarejos, sítios arqueológicos, deserto de sal e um céu… ah, um céu de tirar o fôlego, seja de dia, quando um azul intenso toma conta, seja de noite, quando milhares de estrelas protagonizam o espetáculo. O Atacama é palco de paisagens incríveis e muito variadas.

Quem esperaria encontrar no meio do deserto mais alto e árido do mundo um lago de águas cristalinas, cheio de flamingos? Pois no Atacama isso é possível e existe. A explicação é que uma área do deserto, chamada Salar de Atacama, tem um microclima diferente e permitiu que todas essas curiosas formações fossem possíveis. Até chuva tem nessa área, algo praticamente inexistente em um deserto como o Atacama.  

Salar-de-tara

O principal ponto para explorar o deserto é San Pedro de Atacama, um vilajejo no norte do Chile, a 2.450 metros de altitude e a cerca de 100 km de Calama (onde está o aeroporto mais próximo). San Pedro, ou simplesmente SPA, é um local pacato e muito rústico; suas ruas são de terra, a iluminação noturna é mínima e as construções são todas de adobe, um tipo de tijolo de terra bastante utilizado na região. Embora todo esse ambiente rústico pudesse ser sinônimo de precariedade, na verdade não é. A simplicidade faz parte do estilo de vida local e a vila tem até bastante estrutura para seu tamanho-alguns dos melhores hotéis do Chile marcam presença aqui e quem pensa que irá comer mal na viagem, não poderia estar mais enganado… San Pedro é praticamente um oásis culinário, cheio de bons restaurantes. 

A umidade baixa e a altitude elevada não desanimam os turistas que visitam a cidade, mas é preciso dar tempo para o corpo se aclimatar e não exagerar nas atividades. Os passeios oferecidos pelas diversas agências turísticas são as principais atividades a fazer na viagem e alguns chegam a quase 5.000 metros! Passeando pela Calle Caracoles, a principal rua da vila, será fácil perceber como o comércio se faz presente; são inúmeras as agências, cada uma oferecendo um tipo de passeio. 

Quando ir ao Deserto do Atacama

Visitar o deserto e San Pedro de Atacama é um programa para o ano todo. A estimativa é que San Pedro tenha cerca de 300 dias de sol por ano, o que garante que você possa admirar o tão falado céu azul quase sempre. Dizem os atacamenhos que os outros 65 dias do ano seriam dias com nuvens, mas não necessariamente completamente nublados. 

No deserto, nota-se melhor as diferenças entre o verão e o inverno. No inverno, o pico dos morros e vulcões altos têm neve e, na cidade, as temperaturas variam entre 1º e 20ºC-podendo haver temperaturas negativas em noites frias. Já no verão, as médias oscilam entre 5º e 25ºC e podem passar os 40ºC em dias extremos.

Como é comum do deserto, prepare-se para encontrar frio e calor; prepare-se para temperaturas altas durante o dia, quando há presença do sol, e temperaturas amenas durante a noite e de manhã cedinho. San Pedro de Atacama está a 2.450 metros de altitude, mas diversos passeios feitos a partir do vilarejo visitam lugares muito mais altos, o que significa que a temperatura nesses locais poderá ser consideravelmente mais baixa. Independente da estação do ano em que você faça sua viagem, leve na mala roupas de inverno e de verão. Se você sair às 5 da manhã para um passeio a 4.000 metros de altitude, vá sempre com uma roupa abrigada, mesmo no verão as temperaturas em locais tão altos podem negativas em alguns momentos do dia. 

Embora seja costume geral dizer que as chuvas não existem e não são uma preocupação para quem planeja uma viagem a essa região, é preciso ressaltar que na verdade chove, sim, em San Pedro de Atacama. As chuvas costumam acontecer em fevereiro, possivelmente no final do mês, e são consequência do que chamam de inverno altiplânico. Lugares que ficam secos quase o ano todo se enchem de água e cânions que não parecem saber o que é chuva, há uma eternidade viram verdadeiros rios. O fenômeno é passageiro e rápido, mas acontece; e se você viajar nesse período, presenciará algo incomum: chuva no deserto.

Para quem planeja visitar San Pedro e tem como um de seus objetivos admirar o céu pela noite e ver uma enorme quantidade de estrelas, evite viajar no período de lua cheia e dê preferência a viagens na lua nova; nessa fase, a lua ilumina menos o céu e permite que vejamos mais estrelas. 

Como chegar ao Deserto do Atacama

O Deserto do Atacama ocupa uma grande área do norte do Chile e o principal ponto para ter como base para explorar suas belezas é San Pedro de Atacama. San Pedro, ou SPA, é um local bem pequeno e de estrutura limitada, que não possui aeroporto. O aeroporto mais próximo de San Pedro fica em Calama, uma cidade com estrutura melhor, a 100 km de distância. Por via terrestre são mais de 1.600 km até Santiago. 
 

Avião
Para os brasileiros, o primeiro passo é pensar em como chegar de sua cidade até Santiago do Chile. Atualmente, há voos diretos entre Guarulhos e Santiago com a Tam, Lan, Gol e Sky; partindo do Aeroporto do Galeão, há voos com a Lan e Tam. O segundo passo é pensar no trajeto entre Santiago e Calama, que tem cerca de 2h de duração-as duas empresas que operam nesse trecho são a Lan e a Sky. 

No contexto geral, a melhor opção para os brasileiros é utilizar a Tam/Lan para fazer a viagem do Brasil até Calama. Como a Tam se juntou a Lan, você consegue comprar em um único localizador a passagem saindo de diversas cidades brasileiras e indo até Calama, fazendo o trecho interno no Chile com a Lan.  

Do aeroporto de Calama até San Pedro de Atacama
A opção de melhor custo-benefício para ir do Aeroporto de Calama até San Pedro de Atacama, principalmente para as pessoas que viajam sozinhas ou em grupo pequeno, é contratar o serviço de um transfer. Não há ônibus que saem do aeroporto e vão até San Pedro, mas há ônibus que saem da cidade e vão até o vilarejo. Como você pode pegar o transfer no próprio aeroporto e ir até a porta de seu hotel em San Pedro, essa será uma opção mais confortável, principalmente para quem já passou várias horas viajando.

Há algumas empresas de transfer que fazem esse trajeto e você pode até contratá-las quando chegar no próprio aeroporto, mas, para garantir sua vaga, é melhor que faça uma reserva pela internet antes de chegar. O trajeto de transfer custa em torno de $12.000 por pessoa.

Considere que, se você viaja em um grupo grande ou com a família, poderá ser vantajoso contratar um transfer privado, assim o valor pago será pelo transporte do veículo e não por pessoa. 

Utilizamos o Transfer Licancabur para fazer nosso translado, com reserva feita por e-mail. Embora tenha havido um atraso para sair do aeroporto na chegada de nosso voo, gostamos da empresa. Quando contratado o trecho de ida e volta ao aeroporto, há um desconto de $2.000 por trecho. 

Ônibus
Viajar de ônibus no Chile é uma opção boa e barata, principalmente porque as estradas costumam estar em condições favoráveis a viagens terrestres. O que pesa contra a viagem de ônibus é o tempo; são apenas duas horas de avião entre Santiago e Calama, enquanto a mesma viagem de ônibus leva quase 24h. Há ônibus entre Santiago e Calama e há também ônibus que vão para San Pedro de Atacama, facilitando ainda mais esse deslocamento. 
Para fazer viagens de ônibus, consulte empresas como a TurBus e Pullman. 
Os ônibus costumam dar lanches ao longo do dia, mas as paradas podem ser muito curtas. É bom levar um lanche e bebidas por conta própria também. 

Lembre-se que, no Chile, cada empresa de ônibus possui um terminal próprio e não funciona como no Brasil, que uma única rodoviária recebe ônibus de diversas empresas.

De carro
Muita gente que gosta de pegar a estrada e fazer viagens de carro ou moto pela América do Sul inclui San Pedro de Atacama no roteiro. Para quem parte do sul, centro ou norte do Chile, a principal rota a tomar é a Ruta 5, com acesso a San Pedro pela Ruta 23-partindo de Santiago, são cerca de 1.630 km de viagem. Para quem sai de Salta, na Argentina, o acesso é feito pela RN51. Para quem parte de Potosí, na Bolívia, o acesso é feito pela RN5. 

Hospedagem

O Deserto de Atacama ocupa uma área enorme do Chile e algumas cidades e vilarejos estão localizadas ao longo do deserto, mas o local que oferece a melhor localização e estrutura para explorar suas belezas é San Pedro de Atacama.

A vila de San Pedro, com ruas de terra e construções de adobe, está a cerca de 100 km de Calama, uma cidade de grande porte, onde há minas de cobre e um aeroporto com voos diários para Santiago. Calama não é tão interessante para se hospedar, hoje em dia é considerada uma cidade decadente, embora haja alguns pontos que podem valer um passeio. Fique mesmo em San Pedro, um vilarejo simples, mas bem interessante e completamente voltado para o turismo. 

Não pense que, por ser pequeno, o local tem apenas acomodações simples, na verdade, a realidade é bem diferente desse pensamento. San Pedro tem albergues, acomodações do tipo bed & breakfast e hotéis excelentes, como o Hotel Explora, que é considerado um dos melhores do mundo e funciona no modo all inclusive. Quando for reservar uma acomodação, note que “hostal” não é a mesma coisa que um albergue, é na verdade uma acomodação simples, que tem quartos individuais.

San Pedro é um local pequeno, cuja região central possui apenas algumas ruas. Locomover-se pelo centrinho de SPA a pé é bastante fácil, por isso é nas proximidades da rua Caracoles que você deve se hospedar se quiser acesso fácil aos restaurantes, agências turísticas e todo o comércio. 

Ficar mais afastado do centro pode resultar na necessidade de um meio de transporte alternativo ou caminhadas mais longas. Outro fator a se considerar, caso opte por uma hospedagem mais afastada que muitas vezes possuem preços mais atrativos em relação aos hoteis melhores localizados, é que as ruas de San Pedro são mal iluminadas e ficam ainda menos iluminadas quando nos afastamos do centro; então, para alcançar hotéis mais distantes, pode ser necessário passar por ruas escuras, e isso não agrada a muita gente.

Para ficar no centrinho e ter conforto, nossas dicas são o Poblado Kimal, onde você pode ter sua própria cabana, e o Terrantai-ambos muito bem localizados. Ainda próximo ao centro, outras opções são o Hotel Pascual Andino e o Hostal Pueblo de Tierra. Se você prefere descansar e ficar longe do centro para ter mais sossego e privacidade, o Alto Atacama Desert & Lodge e o Planeta Atacama são boas alternativas. Se quiser economizar, uma boa pedida é o Hostal Campo Base, um dos mais procurados de San Pedro. 

Alto Atacama Desert Lodge & Spa (All-inclusive)

 Aninhado num vale tranquilo, localizado ao lado do Pucará de Quitor, o Alto Atacama Desert Lodge & Spa providencia pacotes de acomodação com tudo incluído em San Pedro de Atacama. 
Menor tarifa: US$ 783

Hotel Pascual Andino

O Pascual Andino está situado apenas a 100 metros da Caracoles, a rua principal da cidade, e oferece quartos acolhedores em San Pedro de Atacama. Um buffet de pequeno-almoço é servido diariamente. O acesso Wi-Fi e estacionamento privado.
Menor tarifa: US$ 195

O que fazer no Deserto do Atacama

O Atacama reserva belezas naturais incríveis e o melhor local para utilizar como base para explorar essas belezas é San Pedro de Atacama. O vilarejo possui dezenas de agências turísticas, que diariamente organizam passeios para visitar os arredores, sendo assim, os passeios e excursões turísticas são os principais atrativos a se fazer no Atacama e, muitas vezes, ocupam manhã, tarde e um pedaço da noite da programação dos turistas. 

Podemos dizer que são quatro os passeios básicos no Atacama: Valle de La Luna + Valle de La Muerte, Laguna Cejar, Geysers del Tatio e Lagunas Altiplanicas. Esses quatro passeios são lindos, muito tradicionais, e fazem paradas em diferentes pontos. No Valle da Lua você verá formações de sal muito interessantes, uma duna enorme e poderá caminhar em um cânion. Já a Laguna Cejar é um passeio não apenas para contemplação, mas também para o banho-essa lagoa tem 40% de sal, e faz com que a gente entre na água, mas não afunde, é gelado, mas uma experiência inesquecível, não dá para perder.

Lagunas-altiplanicas

O passeio às lagunas altiplânicas leva às lindas lagoas Miscanti e Miñiquez, além da Laguna Chaxa, que tem flamingos e o deserto de sal. Os Geysers del Tatio são fendas no solo que têm pequenas erupções; para conhecer os gêisers é preciso sair bem cedinho (ainda de madrugada) de San Pedro, porque apenas quando o ar ainda está gelado é que se pode ver o vapor que sai do solo. 

Um outro passeio não tão popular, mas que é lindo, é o passeio que leva ao Salar de Tara, um local com formações rochosas muito curiosas e uma lagoa belíssima, onde se pode ver flamingos e a nascente de água doce! Se você gosta de geologia, não perca um passeio pelo Valle del Arcoiris, um vale formado por diversos minerais diferentes, que dão colorações distintas às rochas, por isso o nome “arco-íris”. 

O Atacama é um lugar lindo, mas o ritmo da viagem pode ser cansativa dependendo da programação que se organiza. Os passeios costumam ter duração de meio dia, alguns partem pela manhã voltando por volta das 14h, outros saem pela tarde (16h) e retornam às 20h. Uma rotina de passeios duplos é puxada e se você quiser relaxar depois de tantas atividades, uma ótima alternativa é passar o dia curtindo as Termas de Puritama, que são termas naturais, construídas ao longo de um rio; cada terma possui uma temperatura diferente. 

Lagunas Altiplânicas e Salar de Atacama

 O passeio das Lagunas (Lagoas) Altiplânicas é um dos principais tours a se fazer no Atacama. Ele parte cedinho de San Pedro de Atacama e tem como objetivo visitar as Lagoas Miscanti e Miñiques, além de uma área do Salar de Atacama e da Lagoa Chaxa. 

O passeio parte em torno das 6h da manhã de San Pedro de Atacama e ao todo percorre cerca de 280 km. O início do passeio é dentro do carro, leva-se cerca de 2h de viagem para chegar à primeira parada do trajeto, que é na Lagoa Miscanti; uma lagoa muito bonita e de águas tranquilas que fica cercada por morros e por uma vegetação amarelada. No inverno, parte do lago pode estar congelada e provavelmente os morros estarão com neve. 

Pukara de Quitor

Pukará de Quitor é um sítio arqueológico a cerca de 3 km de San Pedro de Atacama. Tratata-se de uma edificação de pedras construída no século XII, que tinha como objetivo ser como uma fortaleza (por isso está localizada em cima de um morro), além de servir como moradia e para armazenamento de alimentos. Pukará foi invadida pelos incas e posteriormente pelos espanhóis, por isso, muitas das construções estão hoje em dia desconfiguradas. O povo que vivia no local era simples e um tanto primitivo se comparados aos espanhóis, que possuíam cavalos e armas de fogo (que os moradores na época não conheciam). 

O sítio arqueológico foi restaurado e é considerado monumento nacional. Ao visitar Pukará de Quitor, você perceberá que há duas trilhas: uma que leva às ruínas principais do sítio arqueológico e que leva cerca de 30 minutos para ser percorrido, uma outra trilha bem maior, que leva cerca de 2h para ser feita por completo. O local proporciona uma vista muito bonita de San Pedro, você poderá observar os vulcões ao redor da vila, a vegetação, as casas etc. 

Para chegar ao local, é possível ir andando, de bicicleta ou de táxi. Não recomendamos ir caminhando, porque mesmo que sejam apenas 3 km de caminhada, o sol é bem forte e pode prejudicar o passeio. 
Não há guias para fazer esse passeio, por isso, se você quiser informações históricas, consulte as placas informativas.

Valor: $2.000

Laguna Cejar e Tebinquinche

O passeio da Laguna Cejar e Laguna Tebinquinche é um dos programas que consideramos “obrigatórios” a se fazer no Atacama. A Lagoa Cejar, em especial, é imperdível. Por isso tente incluí-la no seu roteiro, mesmo que o tempo esteja apertado. 

O passeio começa na Lagoa Cejar, que é uma lagoa de águas cristalinas e azuladas, composta por 40% de sal. A consequência de ter tanto sal em suas águas é que ao mergulharmos em suas águas, nós não afundamos… O que torna a experiência incrível! O sal é realmente forte, por isso não mergulhe a cabeça, deixe-a sempre para fora da água. A temperatura da água é gelada, então esse é um programa que fica mais agradável de se fazer durante o verão, pois é muito refrescante, considerando o calor que faz nas tarde do Atacama. Próximo à lagoa, há um local para tomar um banho sem sal, banheiros e vestiários para trocar de roupa. Leve uma roupa seca para tomar banho e depois se trocar, o sal faz com que muita gente fique se coçando depois de sair da água.

 

Geiser del Tatio

O passeio aos géiseres de Tatio é um dos programas mais procurados de San Pedro de Atacama. Ele começa bem cedo, já que as agências passam nos hotéis para buscar os turistas a partir das 4h da manhã. São percorridos mais de 200 km na excursão e é necessário deixar SPA cedo, principalmente porque apenas quando está mais friozinho é que é possível ver o vapor saindo dos gêiseres, ou seja, fato que acontece antes do sol estar forte.

Os gêiseres são formações que costumam existir em regiões vulcânicas. Eles são como pequenos vulcões que têm erupções de água, expelida através de uma fenda. A água que sai dos gêiseres é bem quente e, quando em contato com o ar, gera vapor, que fica ainda mais evidente quando o ar está frio. 

Os gêiseres de Tatio são considerados o terceiro maior campo de gêiseres do mundo e são formações raras. Eles entram em erupção de tempos em tempos e podem, de uma hora para a outra parar de ter erupção, assim como um novo gêiser pode se formar a qualquer hora. Há gêiseres de todo tipo nesse campo, alguns bem grandes e impressionantes, outros menores e menos expressivos. Como podem ser perigosos, evite caminhar em cima das fendas e respeite o limite de pedras que existe ao redor dos gêiseres. 

Na segunda parte do passeio, podemos entrar no “Pozon Rústico”, uma terma próxima aos gêiseres. A terma tem um tamanho razoável e água quentinha, mas como todas as agências turísticas fazem esse passeio no mesmo horário, ela fica bastante cheia de turistas. Caso decida mergulhar, leve roupa de banho e uma toalha para se secar. 

Depois de conhecer os gêiseres, muitas agências também fazer uma parada no povoado de Machuca, um local conhecido por ser a moradia de apenas 7 pessoas. Nesse povoado há mulheres que vendem churrasco de lhama e outras iguarias locais, se quiser comer algo diferente, é um lugar interessante para fazer uma parada. Não há muito o que visitar no local, mas recomendamos que você observe a igreja de Machuca, que é muito peculiar. 

A “Quebrada de Guatin” é mais um ponto que algumas agências incluem no roteiro. Nesse lugar você poderá observar cactos enormes, alguns com 4 metros de altura. Esses cactos são utilizados nos telhados das casas da região, é um lugar é muito interessante e ótimo para tirar fotos. 

Distância: 200 km (ida e volta)
Altitude máxima: 4.320
Entrada: $5.000 para o parque dos gêiseres + $20.000 – $30.000 pelo passeio com a agência.
Saída de San Pedro: entre 4h e 5h da manhã/ retorno por volta das 14h. 

Dicas: Vá vestido ao estilo cebola-roupas quentes para usar logo cedo, depois retire as camadas mais grossas e use algo mais leve. 

Gastronomia

Um vilarejo tão pequeno, afastado de uma grande cidade e em um ambiente complexo como o deserto teria bons motivos para não oferecer uma gastronomia de qualidade, mas o que acontece em San Pedro de Atacama é exatamente o contrário. SPA é praticamente um oásis gastronômico no meio do deserto, tem uma boa variedade de restaurantes, com bons chefs e pratos cheios de qualidade. 

Em San Pedro você encontrará ótimos restaurantes, que são uma excelente pedida para ir, principalmente, durante a noite, no fim daquele dia em que você fez passeios e quer simplesmente fazer uma boa refeição e depois cair na cama. Os restaurantes da vila têm um ar descontraído, perfeitos para tomar um drink e experimentar um pouco da culinária chilena. Nos cardápios, você encontrará pratos variados da cozinha internacional, além de muito salmão, camarão, carnes variadas, legumes, batata etc. Como o Chile é um grande produtor de vinho, não é preciso desembolsar muito dinheiro para tomar um vinho de qualidade por lá.

Uma coisa bem legal dos restaurantes em San Pedro é que muitas vezes eles oferecem um menu por preço fixo que inclui entrada, prato principal e sobremesa. Normalmente esse tipo de menu é oferecido no almoço. Os restaurantes da vila são ótimos, mas nem todos são baratos, então, para quem quer economizar, esse tipo de menu é conveniente. 

A Calle Caracoles é a principal via de San Pedro e caminhando por ela será fácil identificar vários restaurantes bacanas. Uma dica certeira e que costuma agradar é o Adobe, considerado um dos melhores restaurantes de SPA. Ele fica cheio quase todas as noites, tem até uma fogueira ao ar livre, e pratos variados que incluem carnes, saladas, peixes e pizzas. Outra alternativa para comer bem e sair satisfeito é o Blanco, um restaurante que tem músicas animadas. O Blanco tem um salmão com crosta doce que é dos deuses-não deixe de experimentar!

Para encontrar uma grande variedade de pratos, nossa sugestão é ir ao CKunna, um restaurante grande, que tem pratos bem servidos e com uma apresentação encantadora. Mais duas boas opções para comer bem são o La Casona e Tierra Todo Naturale, que tem um ambiente rústico e serviço rápido. 

Babalu-heladeriaPara conhecer a cozinha atacamenha e, quem sabe, comer a carne de alguns animais diferentes, vá ao Baltinache, um restaurante pequeno, mas com boa comida. Agora, se quiser deixar de lado pratos mais rebuscados e experimentar um pouco da cozinha tradicional chilena, a melhor opção é ir ao Delícias de Carmen, um restaurante que não tem pratos refinados quanto outros mais famosos de San Pedro, mas que conquista as pessoas pela simplicidade-vá sabendo que os pratos são grandes e alguns servem duas pessoas!

Para se refrescar do calor que faz no deserto, não deixe de tomar um sorvetinho na Heladeria Babalu. A sorveteria tem sabores tradicionais de sorvete e outros bem diferentes, como folha de coca, violeta e quinua!

Dica: Beba bastante água durante a viagem e evite comer carne vermelha e tomar álcool no dia anterior a um passeio que visita locais de grande altitude. Fazer refeições leves ajuda a evitar o mal estar decorrente de grandes altitudes.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: https://guia.melhoresdestinos.com.br/deserto-atacama-164-c.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *