Outros posts

Conheça o Taj Mahal, um dos pontos mais incríveis da Índia

O Taj Mahal se destaca entre os pontos turísticos da Índia – para muitos turistas, é o principal motivo de visitar o país. É conhecido no mundo inteiro como um símbolo de amor – e é, sem dúvida, um edifício lindo.

O mais famoso monumento da Índia, o Taj Mahal é um mausoléu que o imperador muçulmano Shah Jahan mandou construir para a sua esposa Mumtaz Mahal nos anos 1600.  Sim, esta “maravilha do mundo” é um túmulo muçulmano – o túmulo mais famoso do mundo! 

História do Taj Mahal

O príncipe Khurram – mais tarde conhecido como Shah Jahan – era o filho do Jahangir, um imperador do Império Mugal, ou Mogol.  (Este império governou a maioria do que agora chamamos de “Índia” durante mais de três séculos.)

Em 1612, o príncipe casou-se com Arjumand Banu Begum, uma princesa de origem persa, dando para ela o nome “Mumtaz Mahal”, que significa “a escolhida do palácio” .  Ela era a terceira esposa dele – mas sem dúvida a mais amada.  Em 1627, o príncipe subiu ao trono; o novo imperador então tomou o nome “Shah Jahan”, que significa “rei do mundo”.

Infelizmente, Mumtaz Mahal morreu aos 39 anos em 1631, ao dar luz ao seu 14º filho, depois de quase 20 anos de casamento feliz com Shah Jahan.  Angustiado com a morte da sua esposa tão amada, o imperador mandou construir um grande “palácio” para servir como o mausoléu dela.

“Taj Mahal” significa “o palácio da coroa” (“taj” significa “coroa”, e “mahal” significa “palácio”), ou “a coroa dos palácios”, ou até “a coroa da [Mumtaz] Mahal” – ninguém conhece a origem do nome com certeza.  A construção do edifício durou mais de uma década, de 1631-1643; o complexo inteiro foi completado em 1653.

O reino do imperador Shah Jahan foi marcado pela construção de muitos monumentos impressionantes que ainda se pode visitar no norte da Índia.  Mas nenhum deles foi tão importante para ele como o Taj Mahal, o monumento construído para os restos da mulher que ele amava.

Depois da morte do Shah Jahan em 1666, ele também foi enterrado no Taj Mahal, ao lado da esposa; os dois repousam lá até hoje.

Ao longo dos anos, o Taj Mahal virou um destino popular para turismo na Índia. Em 2007, foi escolhido como uma das “Sete Maravilhas do Mundo Moderno”.

Uma das lendas mais famosas diz que depois da construção do mausoléu, o imperador mandou cortar as mãos de todos os arquitetos e artesãos que tinham trabalhado nele, para que nunca pudessem construir um edifício igual no futuro.

Outra lenda famosa diz que Shah Jahan queria construir um “Taj Mahal preto” no outro lado do Rio Yamuna, frente ao famoso Taj Mahal branco que conhecemos… mas que ele morreu antes de poder realizar este projeto.

Apesar dessas lendas serem muito populares, não existe nenhuma prova histórica para nenhuma das duas!

Dicas para visitar o Taj Mahal

Onde fica o Taj Mahal?

O Taj Mahal está localizado na cidade de Agra, a apenas umas horas de Nova Délhi no norte da Índia.  Apesar de ser “a cidade do Taj Mahal”, Agra não é uma das cidades mais agradáveis da Índia.

A maioria das pessoas que visitam Agra tentam passar o mínimo de tempo na cidade – só o suficiente para ver o Taj Mahal, e talvez o famoso forte da cidade (também patrimônio mundial da UNESCO – veja abaixo).  Alguns turistas vêm de Délhi de manhã só para ver esses monumentos, e já voltam para Délhi a noite; isso é possível de trem ou até de táxi, se o seu orçamento permitir.  Tem muitos destinos legais na Índia – mas fora do Taj Mahal e do forte, Agra definitivamente não é entre eles.

Acessos, preços, e horários do Taj Mahal

O Taj Mahal tem três acessos – do oeste, sul, e leste.  A entrada pelo portão do leste é a mais tranquila, enquanto o portão do oeste é o mais movimentado, com mais abordagens de gente de todo tipo tentando te vender coisas (e também as filas mais longas).  Mas o acesso mais conveniente para você pode depender de onde você se hospedar em Agra.

Para preservar o monumento, a área ao redor do Taj Mahal está fechada ao trânsito motorizado.  Para chegar aos portões do complexo, vai ter que caminhar mais ou menos um quilômetro (ou pegar um ciclo-riquixá – lembre-se de negociar o preço!)  Note que a bilheteria no lado do leste está localizada antes de onde fecham o trânsito, a mais de um quilômetro do portão – se você vai entrar por este portão, compre o seu ingresso antes de caminhar até lá!  Os outros dois portões tem as bilheterias por perto.

A entrada para estrangeiros é cara, 1000 rupias (uns 50 reais) – os indianos pagam somente 40 rupias (uns 2 reais)!  Mesmo neste preço, a opinião da maioria dos turistas é que uma visita vale muito a pena.  O preço dos estrangeiros inclui uma garrafinha de água de 500ml e um par de “pantufas” para cobrir os pés quando você entra no edifício do Taj Mahal.

IMG_0047
Fonte:tudoindia

O complexo do Taj Mahal está aberto das 06:00 até 19:30, de sábado até quinta – o complexo inteiro está fechado as sextas-feiras!  (Só muçulmanos estão permitidos de entrar nas sextas, e apenas na hora de rezar na tarde.)  Note também que só os portões do oeste e leste abrem as 06:00 – o portão do sul não abre até as 08:00.  Uma visita noturna ao complexo é permitida alguns dias de cada mês, mas não dá para chegar muito perto ao Taj Mahal e muitos turistas dizem que não valeu muito a pena.

Quase sempre tem muita gente no complexo, mas os horários do nascer e do pôr do sol são interessantes para visitar.  Para ver o nascer do sol, lembre-se de entrar só pelos portões do leste ou oeste.  E chegue bem cedo, pois nós não somos os únicos dando esta dica de ver o nascer do sol no Taj Mahal!  Pode esperar enfrentar uma fila, mesmo se o céu ainda estiver bem escuro quando você chegar na bilheteria.

Dicas para uma estadia em Agra

Apesar de ter sido a capital do Império Mugal por mais de um século, Agra entrou em declínio logo depois daquela época, e agora está cheia de poluição, lixo, e gente baixa.  Até os indianos de outras regiões do país sempre falam mal de Agra e do seu povo.  É só dentro do complexo do Taj Mahal que você vai achar paz.

A partir do momento que você chega em Agra (de trem ou de ônibus), você vai ser abordado sem parar por motoristas de autorickshaw e ciclo-riquixá e mil outras pessoas querendo pegar seu dinheiro de algum jeito ou outro – servindo de guia, vendendo artesanatos ou lembrancinhas, te levando para algum hotel ou loja onde recebem comissões, etc.  A maioria dessas pessoas são desonestas e aproveitadoras, e o preço citado para qualquer coisa sempre vai ser muito elevado.  Tem que tentar negociar para poder pagar um preço razoável para quase todo produto ou serviço que você pode querer comprar em Agra.

Note que, se você deixar algum cara te levar para qualquer loja em Agra, os preços automaticamente vão aumentar muito (talvez 50%), porque o vendedor vai acabar incluindo a comissão do cara no preço que você paga.  Note também que a maioria das coisas “genuínas” que estão disponíveis para comprar em Agra provavelmente são falsas (por exemplo, pedras preciosas, produtos de “mármore”, etc.)

Mesmo para quem geralmente não reserva hospedagem com antecedência nas suas viagens, é indicado fazer uma reserva de hotel para sua visita a Agra.  Senão, pode esperar preços muito elevados nos hotéis ao chegar lá.  Sempre é possível negociar (às vezes muito), mas seria bem mais fácil evitar ter que lidar com isso depois de chegar em Agra.  Felizmente, tem muitas opções de hotéis perto do Taj Mahal para todos os bolsos – já que é o único motivo para a maioria dos turistas visitarem a cidade.

Outras dicas práticas para uma visita ao Taj Mahal

Tem muitas regras para seguir dentro do complexo do Taj Mahal.  Por exemplo, é proibido entrar com comida ou bebidas (exceto sua garrafa de água).  É um pouco dificil descifrar, mas aqui é a lista completa do que é proibido:

IMG_9951
Fonte:tudoindia

Tem um controle de segurança na entrada; revistam todas as bolsas.  Para entrar mais rápido e evitar complicações, leve na sua bolsa só o que você vai precisar.  Quanto mais coisas você levar, mais o processo pode demorar.

Não se pode tirar fotos dentro do Taj Mahal (quer dizer, dentro do mausoléu mesmo).  Mas tem muitas outras oportunidades de tirar fotos boas dentro do complexo, além das fotos do exterior do Taj Mahal.  Os jardins do complexo também são famosos e aparecem em muitas fotos do famoso edifício – mas poucas fotos do Taj Mahal mostram as duas estruturas lindas nos seus dois lados (uma delas sendo uma mesquita), construidas na mesma época.

IMG_0114
Fonte:tudoindia

E bem na frente do Taj Mahal , tem um grande portão monumental que também é muito bonito:

IMG_9962
Fonte:tudoindia

O que mais conhecer perto do Taj Mahal

Forte de Agra é o outro sítio histórico impressionante na cidade; vale a pena visitar.  Guarde o seu ingresso do Taj Mahal, pois dá desconto de 50 rupias no forte.  Fora do Taj Mahal e do forte, não tem muitos motivos para demorar em Agra.

O Forte de Agra - Agra Fort
Fonte:tudoindia

Fatehpur Sikri é uma “cidade fantasma” interessante, que também é patrimonial mundial da UNESCO, localizada a 40km de Agra.  Era capital do Império Mugal por uma década, mas foi abandonada de repente; ninguém sabe exatamente o porquê.  Tem ônibus frequentes de Agra para Fatehpur Sikri, e tem hospedagem disponível lá também.

Comida indiana

 

A “comida indiana” é, de fato, uma coleção das distintas culinárias regionais dos vários povos que habitam a Índia.  Apesar de ser caracterizada por muita diversidade, tem algumas tendências gerais na maioria das culinárias indianas.

Comida indiana
Fonte:tudoindia

Uma grande parte da gastronomia indiana toma a forma de “curry”, pedaços de carne, legumes, verduras, ou outros alimentos temperados – tipicamente em um molho temperado. (Na verdade, a palavra “curry” originalmente denominou o molho mesmo.)  O “pó de curry” que se encontra no ocidente é uma criação recente que não é indiana, mas que foi inspirada pelas várias misturas de especiarias que são comumente utilizados na Índia – garam masala é a mistura mais famosa do norte, enquanto a mistura utilizada para preparar o condimento sambar se destaca no sul.

Um curry de camarões - comida indiana
Fonte:tudoindia

Muito comum também é o thali, um prato grande com várias tigelinhas pequenas em que são colocados curries de legumes e verduras, dal (lentilhas), coalhada, molhos, e mais.  Vem com um monte de arroz no meio do prato; no norte do país, é comum ter pães também.  O thali é muito popular na Índia por oferecer uma variedade de comidas em um prato só, geralmente por um preço econômico.  Em alguns lugares, as porções são ilimitadas – assim que a pessoa chega ao fundo de uma tigelinha, os garçons já estão na mesa para encher de novo!  Os thalis de Gujarat são famosos no país inteiro, mas também tem thalis no sul do país, em Rajasthan, e em outras regiões.

A comida que os indianos comem geralmente é muita temperada, aproveitando da riqueza de especiarias e ervas que se encontram no país.  Entre as especiarias indianas mais comuns estão: açafrão, assafétida, canela, cardamomo, coentro, cominho, cravo, cúrcuma, erva-doce, gergelim, hortelã, louro, macis, mostarda, noz-moscada, pimenta branca, pimenta preta, e tulsi (um tipo de manjericão indiano). Alho, gengibre, coco, tamarindo, e vários tipos de chilis também estão entre os temperos indianos predominantes.

Temperos indianos frescos no mercado
Fonte:tudoindia

Alguns estrangeiros acham que toda comida indiana é picante, e é verdade que tem muitíssima comida picante na alimentação indiana, mas isso varia muito entre as diferentes regiões do país – a comida típica da cidade de Hyderabad geralmente é muito picante, por exemplo, enquanto a comida típica do estado de Gujarat é mais doce, frequentemente utilizando um tipo de rapadura (jaggery) até nos pratos de legumes.  Na maioria do país, tem uma variedade de pratos picantes e não picantes, mas quase todos generosamente temperados – muito mais que a comida brasileira.  Mesmo os pratos indianos sem pimenta geralmente são muito fortes por causa da quantidade e intensidade dos outros temperos.

Os indianos comem sempre com a mão direita (nunca a esquerda), geralmente utilizando pão (no norte) ou arroz (no sul) como “talher”.   A mão esquerda é utilizada para coisas “sujas” – então nunca se usa para comer.

No norte, a pessoa usa o polegar e os dedos da mão direita para separar um pedaço do pão, e depois usa esse pedaço de pão para pegar os pedaços de carne, legumes, etc.  Os pães indianos são achatados – os mais comuns no norte são rotichapatinaan, e paratha.  Nos restaurantes, é comum para todos na mesa dividirem toda a comida, cada um colocando um pouco de cada coisa nos seus pratos para comer com os pães.

Preparando um dosa (comida do sul da Índia)
Fonte:tudoindia

No sul, a pessoa usa os dedos da mão direita para fazer uma bolinha de arroz com os legumes, molhos, iogurte, etc., e coloca essa bola direto na boca.  Também muito comum na gastronomia do sul é o dosa, um tipo de crepe que pode ser feito de vários grãos diferentes e recheado com misturas ou simplesmente molhado com sambar (um condimento ralo que pode ser comido coma sopa também) e/ou chutney (uma classe de molhos que são comuns em várias regiões do país, feitos de tomate, coco, hortelã, ou outras ervas).  Os dosas são comidos do mesmo jeito que os pães indianos – separando um pedaço com a mão direita, e usando isso para pegar o um pouco do recheio e/ou molho.

Mesmo assim, quem viaja pela Índia vai achar talheres ocidentais (garfo/faca/colher) nos restaurantes com frequência, pois os indianos também comem alguns pratos assim – sopas e sobremesas, por exemplo (mas quase nunca os curries ou dosas).  Se não tiver talheres na mesa, pode pedir e eles trazem!

Samosas e outros salgados indianos
Fonte:tudoindia

A Índia é o país com a maior taxa de vegetarianismo no mundo (entre 20-40% da população); a religião hindu tem muita influência nisso.  Tem muita variação entre as várias comunidades da Índia – o vegetarianismo é menos comum nos estados do litoral, no nordeste, e entre os muçulmanos do país inteiro, e mais comum entre os jains e os brâmanes, por exemplo.  Em todo caso, quase todos os restaurantes do país têm ao menos opções vegetarianas – e muitos restaurantes são só vegetarianos.

A vaca é sagrada na religião hindu, então a carne de boi não é muito comum na Índia – as carnes mais comuns são as de frango e cabra.  Peixe e camarão também são muito populares, sobretudo nas regiões litorâneas do país, como Kerala, Goa, e Bengala Ocidental.  A carne de porco não é muito comum na maioria da Índia – os hindus acham o porco um animal sujo e os muçulmanos também não comem.  Carne de boi é comum só no estado de Kerala, em alguns estados do nordeste, e nas comunidades muçulmanas do país inteiro.

A bebida preferida dos indianos é o chá, que eles tomam com muito leite e açúcar, e tipicamente também com especiarias como cardamomo e gengibre.  É servido em copinhos pequenos por uns R$0,25 a 0,50; as vezes pode parecer que tem um vendedor de chá em quase toda esquina do país!

Entre as sobremesas indianas mais populares estão gulab jamun, kheer, e kulfi.  Outros doces indianos populares são laddu, jalebi, barfi, rasgulla, e rasmalai.  Os doces da região de Bengala são especialmente famosos na Índia.

 

Hospedagem 

 Hotéis baratos, bem avaliados e interessantes (e com wi-fi!) em três das principais cidades turísticas indianas: Nova Delhi, Agra e Jaipur, o chamado triângulo dourado.  

Dicas de hospedagem no triângulo dourado Índia
Fonte:360meridianos.com

Dicas de Hospedagem em Nova Delhi

Todos os hotéis ficam na região central, localizados nos bairros próximos à principal estação de trem e a pontos turísticos como o Connaught Place e Jantar Mantar. A ordem da lista é do mais barato para o mais caro, mas todas as opções são econômicas.

Hotel Aman International – Possui wi-fi, ar-condicionado, isolamento acústico,  café da manhã no quarto e restaurante no prédio.

Hotel Arjun –  Possui wi-fi, ar-condicionado, serviço de lavanderia e oferece aluguel de carros.

Hotel Shelton  – Possui wi-fi, ar-condicionado, spa, serviço de lavanderia e restaurante no prédio.

Hotel Stay Well Dx – Possui wi-fi, ar-condicionado, café da manhã no quarto e serviço de lavanderia.

Cottage Ganga Inn – Possui wi-fi, ar-condicionado, serviço de lavanderia e restaurante no prédio.

Hotel Metro View – Possui wi-fi, ar-condicionado, serviço de lavanderia e restaurante no prédio.

Hotel Apra International – Possui wi-fi, ar-condicionado,  café da manhã no quarto, serviço de lavanderia e restaurante no prédio.

bloomrooms @ New Delhi Railway Station– Possui wi-fi, ar-condicionado, serviço de lavanderia e restaurante no prédio.

Rupam Hotel –  Possui wi-fi, ar-condicionado, café da manhã, serviço de lavanderia e restaurante no prédio.

Agra, Taj Mahal, Índia
Fonte:360meridianos.com

Hospedagem em Agra

Em Agra, nós recomendamos sinceramente que você não fique mais do que uma noite.  Além disso, busque um hotel mais próximo ao Taj. E um alerta: a eletricidade acaba várias vezes durante o dia e a noite. Os hotéis costumam ter gerador, mas essas máquinas fazem barulho e podem atrapalhar o sono.

Friends Paying Guest House – Tem wi-fi, restaurante no prédio e ventilador. Está a 500 metros do Taj Mahal.

Sai Home Stay Bed & Breakfast – Tem wi-fi, café da manhã no quarto, ar-condicionado, terraço, churrasqueira, restaurante no prédio. Está a 15 minutos a pé do Taj.

Aman Homestay – Tem wi-fi, café da manhã no quarto, ar-condicionado, terraço, restaurante no prédio. Está a 1,8 km do Taj.

DolphInn Home Stay – Tem wi-fi, café da manhã no quarto, ar-condicionado, restaurante no prédio. Está a 1 km do Taj.

Ray of Maya – Tem wi-fi, café da manhã no quarto, ventilador, terraço, restaurante no prédio. Está a 500 metros do Taj.

The Retreat –  Tem wi-fi, café da manhã, ar-condicionado, restaurante no prédio. Está a 1 quilômetro do Taj.

Dicas de hospedagem na Índia
Fonte:360meridianos.com

Hospedagem em Jaipur

Não é muito fácil achar hotéis próximos ao centro histórico em Jaipur, mas felizmente existem boas opções que não estão tão longe de lá. Sem contar que é fora do centro que fica a maior concentração de restaurantes na cidade.

Tara Niwas –  Tem wi-fi, café da manhã, ar-condicionado, restaurante no prédio, serviço de lavandeira e terraço. Está localizado próximo ao Bani Park e à estação de trem.

Jai Niwas – Tem wi-fi, ar-condicionado, restaurante no prédio e serviço de lavandeira. Está localizado próximo à estação de trem.

Hotel H.R. Palace – Tem wi-fi, café da manhã, ar-condicionado, restaurante no prédio, serviço de lavandeira e terraço. Está localizado próximo ao Bani Park e à estação de trem.

Hotel Arya Niwas – Tem wi-fi, café da manhã, ar-condicionado, restaurante no prédio e serviço de lavandeira. Está localizado pertinho da estação de trem e a dois quilômetros da Cidade Rosa.

Umaid Mahal – Heritage Style Hotel – Tem wi-fi, café da manhã, ar-condicionado, restaurante no prédio, serviço de lavandeira, terraço e piscina. Está localizado próximo ao Bani Park e também da estação de trem.

Hotel Vimal Heritage – Tem wi-fi, café da manhã, ar-condicionado, restaurante no prédio, serviço de lavandeira, terraço, piscina. Está localizado próximo ao Bani Park e à estação de trem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:http://tudoindia.com.br/taj-mahal/ http://tudoindia.com.br/comida-indiana/

http://www.360meridianos.com/india-dicas-hospedagem#ixzz4lrw29WHP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *